Objetivo desse blog



O objetivo desse blog é compartilhar com vocês aquilo que tenho ganhado na comunhão com os santos e ao ler a palavra do Senhor!


"Achadas as tuas palavras, logo as comi; as tuas palavras me foram gozo e alegria para o coração, pois pelo teu nome sou chamado, ó SENHOR, Deus dos Exércitos." Jeremias 15.16


domingo, 18 de setembro de 2016

O mordomado do ponto de vista do livro de Atos dos Apóstolos.

Anotações da mensagem 4. Domingo de manhã.  São Lourenço 2016.


Atos dos Apóstolos: 2. 42. e perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. 43. Em cada alma havia temor, e muitos prodígios e sinais eram feitos pelos apóstolos. 44. Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum. 45. E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, segundo a necessidade de cada um. 46. E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração, 47. louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos. - Bíblia JFA Offline

Nessas mensagens,  falaremos do mordomado do ponto de vista do livro de Atos dos Apóstolos.
Quando estudamos o livro de Atos, buscamos olhar do ponto de vista histórico apenas? Isso é muito pouco.  Precisamos  perceber, com os olhos de Deus, como era o viver dos irmãos em Atos e como está o nosso viver, o quanto estamos distantes da vida vivida por esses irmãos,  que tinham o viver de Jesus tão evidente em suas vidas.
Capítulo 1-13 fala da vida da igreja em Antioquia. Ali havia uma graça visível e Barnabé percebeu isso quando foi até lá. Os anciãos,  mestres,  profestas viviam e serviam ao Senhor. Se queremos nos submeter a vontade do Senhor, devemos nos submeter à sua visão,  nos desentulhar das nossas práticas vazias, criadas sem Deus, reuniões, programações,  sem tocar a realidade de Deus.
O capítulo 18 fala da igreja em Corinto. Ali Paulo foi ensinar por um ano e meio a palavra de Deus. O grande enfoque era o ministério da palavra. Vamos ver qual é a nossa carência,  observando essas  igrejas iniciais e quais são os nossos desvios. Era uma palavra que expressava vida, poder, governo, correção (vara), condução (cajado). Nâo devemos nos desviar disso, caso contrário,  colocaremos o serviço ao Senhor na frente da palavra. Marta colocou o serviço em frente ao estar aos pés do Senhor. Marta estava confusa e perturbada. O princípio do mordomado não é esse, mas  estar aos pés do Senhor, na palavra.  Vamos ver o que diz sobre a igreja em Éfeso:
Atos dos Apóstolos: 19. 8. Paulo, entrando na sinagoga, falou ousadamente por espaço de três meses, discutindo e persuadindo acerca do reino de Deus. 17. E isto tornou-se conhecido de todos os que moravam em Éfeso, tanto judeus como gregos; e veio temor sobre todos eles, e o nome do Senhor Jesus era engrandecido. 18. E muitos dos que haviam crido vinham, confessando e revelando os seus feitos. 19. Muitos também dos que tinham praticado artes mágicas ajuntaram os seus livros e os queimaram na presença de todos; e, calculando o valor deles, acharam que montava a cinqüenta mil moedas de prata. 20. Assim a palavra do Senhor crescia poderosamente e prevalecia. - Bíblia JFA Offline
Não vamos nunca entender essas experiências da igreja, se não permitirmos que Deus seja real no nosso coração e que isso nos constranja.  Só assim, veremos as profundezas da mesa do Senhor e que orar tem a ver com o coração de Deus e seu propósito, por causa dos assuntos do governo e da vontade de Deus. Precismos entender qual é o modelo de Deus, essa oração por causa da vontade de Deus e não por mim e minhas causas. Oramos pelo mundo e não conseguimos orar dez minutos por uma pessoa. Banalizamos a palavra, a mesa, a oração.  Ignoramos o essencial e vivemos no secundário.  Nos desviamos por formas. O que é comunhão?  Se  soubéssemos o que ela significa, sofreríamos o dano, para não ver ferida a comunhão entre nós. Irmãos  se dividem por cânticos, formas de reunir. Devemos nos humilhar aos pés do Senhor. Tome o versículo 42. Persevere na palavra e batalhe pela comunhão.  Está tudo uma bagunça,  irmãos discordando e querendo ver Apocalipse.  Tentem se debruçar juntos sobre um versículo, mantendo a comunhão.
Atos dos Apóstolos: 2. 42. e perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.
Atos dos Apóstolos: 6. 4. Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra. - Bíblia JFA Offline
Mateus: 7. 28. Ao concluir Jesus este discurso, as multidões se maravilhavam da sua doutrina; 29. porque as ensinava como tendo autoridade, e não como os escribas. - Bíblia JFA Offline
As pessoas ficavam maravilhadas. Essa não é uma boa tradução.  No sentido literal,  elas foram impactadas de forma negativa, atônitas, chocadas. A palavra significa arrancar com uma pancada. Era  esse o impacto da palavra do Senhor.
Na sua última pregação,  vemos a palavra admirada. Aqui com o mesmo sentido de pancada, golpeadas. Mateus: 22. 33. E as multidões, ouvindo isso, se maravilhavam da sua doutrina. - Bíblia JFA OfflineMarcos: 1. 22. E maravilhavam-se da sua doutrina, porque os ensinava como tendo autoridade, e não como os escribas. - Bíblia JFA Offline
A palavra do Senhor os deixava perplexas. Perguntavam:
-O que é isso? Um novo ensino exposto com autoridade.
Era a mente de Deus vindo à terra com autoridade, sem necessidade de agradar. E nós achamos que podemos moldar a igreja para agradar com a cultura atual. Buscamos o que funciona. Jesus não fazia isso. A palavra tem dois gumes. Ela é morte para morte e vida para vida, para trazer o poder da vida de ressurreição.
Lucas: 4. 32. e maravilharam-se da sua doutrina, porque a sua palavra era com autoridade. - Bíblia JFA Offline
Eles perseveravam em que doutrina? O ensino e vida do Senhor.  A pureza do seu caráter.  Não precisamos de novas práticas ou revelações.  Quando Isaque herdou tudo de seus pais, não cavou novos poços, mas desentulhou os antigos. Vamos voltar à simplicidade das práticas da igreja primitiva. Comunhão é mais do que amizade, preferência,  comunhão é na palavra e vida do nosso Senhor Jesus Cristo,  na pureza da sua santidade.
Atos dos Apóstolos: 13. 4. Estes, pois, enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre. 8. Mas resistia-lhes Elimas, o encantador (porque assim se interpreta o seu nome), procurando desviar a fé do procônsul. 9. Todavia Saulo, também chamado Paulo, cheio do Espírito Santo, fitando os olhos nele, 10. disse: ó filho do Diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perverter os caminhos retos do Senhor? 11. Agora eis a mão do Senhor sobre ti, e ficarás cego, sem ver o sol por algum tempo. Imediatamente caiu sobre ele uma névoa e trevas e, andando à roda, procurava quem o guiasse pela mão. 12. Então o procônsul, vendo o que havia acontecido, creu, maravilhando-se da doutrina do Senhor. - Bíblia JFA Offline
Paulo olhou para aquele homem e falou com poder. O propósito da doutrina é tirar as pessoas das trevas para a luz. Curar,  libertar cativos. Como isso tem que nos constranger, esmagar-nos, adornar-nos como noiva! Que as pessoas ouçam essa palavra e sintam o poder da cura. Vemos casamentos doente, pessoas escravizadas pela ansiedade, depressão,  possessão,  morte. Cristãos que não encontram a vida na doutrina. Nos dobremos perante ao Senhor. A palavra não pode estar de lado. Em cada circunstância,  dificuldade, que essa assembléia vença com o choque, quebrantamento da vida e poder da palavra. A comunhão na igreja primitiva era celestial. Não era social. Eles vivia  o relacionamento com base no amor do Pai, na comunhão do Filho e na unção do Espírito. Era uma comunhão como um som uníssono, harmônico.  Não vamos ter gozo completo num ambiente dividido. A comunhão corrige e faz você sofrer o dano,  para não se dividir do seu irmão.  O verbo se fez carne e tabernaculou entre nós. O Filho tem satisfação no Pai e o Pai no Filho e o Espírito comunica entre eles essa comunhão. O Filho  fez tudo para dar prazer ao Pai. Esse é o princípio da comunhão.  A igreja primitiva viveu assim, com intensidade. Tinham prazer em satisfazer ao seu  irmão,  de maneira emocional,  financeira.  Órfãos e viúvas eram cuidados, trazidos para suas próprias casas. Eles doavam-se uns aos outros. Isso é comunhão.  Partiam o pão de casa em casa. Lc 22 e Jo 13- João 17. A mesa era uma realidade espiritual. 1 Co 10 e 11. Paulo fala da mesa e da realidade espiritual nesses elementos. Tocar na vida do Senhor, no que Ele é. Tinham amizade com Deus. Quando eles oravam, as cadeias tremeiam. Peçam a visitação de Deus, como foi nos dias de Atos.  Não se acomodem! Que Deus nos ajude e nos guarde em sua palavra.  Amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário